sábado, 26 de março de 2011

A geografia dos corações

          

            Rachel de Queiroz, uma das mulheres que melhor escreveu no Brasil, fez este lindo depoimento, falando do valor inestimável da amizade:

" Para cada amigo há uma área específica dentro do nosso coração. Não misturemos os amigos uns com os outros. Cada amigo, sendo único em seu território, não precisa sequer conhecer os donos dos outros territórios.
É que, sendo a nossa alma tão variada  nas suas exigências, precisamos de amigos de acordo com os diferentes âgulos do nosso coração. O amigo de comunicação intelectual não pode ser o mesmo amigo da confidência íntima; o velho companheiro de infância não tem nada a ver com o precioso camarada adquirido nos anos de maturidade".

 É isso. Também o maravilhoso país da amizade,pontilhado de acidentes, de vales, planícies e montanhas, tem sua geografia secreta, seus territórios sagrados, invioláveis. É sabedoria aceitar e respeitar mais essa lição,na arte de bem viver. Infelizmente há tantos analfabetos nessa cartilha! Nunca saíram do primeiro ano atrasado, na geografia misteriosa dos corações!







Por uma questão de respeito:
--------------------------------------------------------------------
O texto publicado não é de minha autoria.
Mais informações, ver o fim da seguinte postagem:
---------------------------------------------------------------------





domingo, 20 de março de 2011

O Mistério da Nossa Individualidade e a Felicidade Compartilhada

O MISTÉRIO DA NOSSA INDIVIDUALIDADE     


             Cada ser humano é único, distinto. Mesmo os gêmeos nunca são iguais, Deus não usa papel carbono, confecção em cópia. Executada a tarefa criadora, ele joga fora o original... para não se repetir.

          Você já agradeceu a Deus por não ter Ele ritmado suas obras primas – as criaturas – pelos padrões da sociedade de consumo, onde quase tudo é fabricado, em massa, em série, modelo standard, tamanho único na mesmice rotineira da repetição maciça?
          Somos todos individualidades. Cada qual é um mundo à parte, com seu rosto, sua história, seu passado e seu presente, seu mistério peculiar, inédito, intransferível.
          Por isso mesmo o amigo de verdade é aquele que se debruça respeitoso sobre o nosso pequeno-grande mundo-pessoal, acolhendo-nos como totalidade: com o nossos sonhos próprios, com nossas angústias e esperanças particulares, com nossos planos, sentimentos e realização individuais.



FELICIDADE COMPARTILHADA



           Quando você faz duas pessoas felizes é bem provável que uma delas seja você.

           Para viver em plenitude, para subir mais alto, descer mais fundo, para sorrir e triunfar com menos aspereza, precisamos de alguém ao nosso lado, juntando o seu ombro amigo ao nosso.
          Quem planta flores ao longo do seu itinerário embeleza o mundo, enriquece as paisagens, colore o seu meio ambiente, perfumando centenas de corações.
          Você já se lembrou de plantar a flor da amizade no canteiro macio de ao menos um coração, deixando-o assim, mais feliz?
          Precisamos de um amigo, assim como a rosa e o cravo precisam de sol para desabrochar, para florescer. Cravos e rosas, símbolos eloquentes e universais do afeto, da amizade,do amor.



Foto: (da esquerda para a direita) Thaiane, eu, Camila e Amanda. 
Minhas amigas queridas, que me inspiram a escrever sobre AMIZADE.





--------------------------------------------------------------------------------------------
O texto pupblicado não é de minha autoria.

Mais informações, ver o fim da seguinte postagem:
http://lira-flor.blogspot.com/2011/03/o-tesouro-de-um-amigo.html
---------------------------------------------------------------------------------------------

sábado, 12 de março de 2011

O Encanto Maior da Amizade

    

      Amigo verdadeiro é coisa rara, preciosa, difícil de encontrar e mais difícil ainda de ser preservada incólume no garimpo da existência.
     O amigo de verdade é alguém ao nosso  lado, em todas as horas. Alguém que nos compreende, que nos estende a mão, partilhando conosco momentos bons, momentos maus. Alguém que ri e chora conosco. Alguém que nos aceita, assim como somos, com nossas virtudes e defeitos, com nossos entusiasmos e desalentos, com nossas manhas e oscilações, rosto desanuviado ou cara fechada.

           O encanto maior da amizade é exatamente este: a gente saber que é querido a despeito de todas as nossas misérias e mesquinharias tamanho família.

            O amigo de verdade é alguém que não nos abandona jamais. Alguém que nos perdoa, nos releva, nos desculpa, sem voltar-nos as costas, mesmo quando o magoamos ou esquecemos. Não se afasta, não decreta luto mortal, não nega seu voto de confiança, mesmo quando o preterimos alguma vez, sem dar-lhe o sorriso da atenção que ele merece, por ser o que é para nós.

      Ele aprendeu a lição dos frutos que sabem esperar. Integrou a mensagem do grão de trigo que morre para depois florescer, dando tempo ao tempo, na prece, na humildade e no silêncio confiante.




---------------------------------------------

O texto pupblicado não é de minha autoria.
Mais informações, ver o fim da seguinte postagem:
http://lira-flor.blogspot.com/2011/03/o-tesouro-de-um-amigo.html
---------------------------------------------

quinta-feira, 10 de março de 2011

2- O Naufrágio da Solidão

     O calor humano da amizade é uma questão de sobrevivência. A estatísticas dos suicídios e dos margurados prova-o sem apelação.
     Enquanto não encontramos o porto seguro e pacificante de um amigo verdadeiro, nosso barco singa triste, desarvorado, perdido no oceano da vida.

     "Estou só. Onde estão meus amigos?" - é o brado lacinante de tanta gente marcada pelo sofrimento do abandono, da marginalização.
     "Estou só. Onde estão meus amigos?" - repete o coro universal de todos os naufrágos que se debatem desesperadamente nas águas fundas da solidão.
     "Estou só. Onde estão meus amigos?" - reboa na canção e no sorriso da felicidade aparente de tantas estelas no cinema, de tantos artistas da televisão. Ídolos humanos, endeusados, aplaudidos, invejados, nadando em dinheiro, concedendo entrevistas, correndo o mundo. E, quantas vezes, em meio à legião incontável de seus admiradores, não encontram um único coração, amigo de verdade.
 
     Nas telas iluminadas, nos palcos do mundo e nas constelações do prestígio humano voeja tanta felicidade mentirosa, de brilho falso, sem raízes de profundidade. Pássaros de lindas penas, mas de asas quebradas.
Raimundo Correa, meio século atrás já dizia na precisão do seu talento:

- Quanta gente que ri, talvez existe,
cuja única ventura consiste
em parecer aos outros venturosa!




------------------------------------------------------------------------------------------
O texto pupblicado não é de minha autoria.
Mais informações, ver o fim da seguinte postagem:
------------------------------------------------------------------------------------------

domingo, 6 de março de 2011

O Tesouro de Um Amigo



 O calor humano da amizade não é  questão de romantismo,
mas   uma  questão de sobrevivência.  O amigo é uma fonte
inesgotável de alegria,  de  ajuda,  de  felicidade. O  melhor
remédio  para  as   horas  em  que o  sofrimento
nos joga no hospital-da-vida...

                                                                


1 - UM GRITO PARADO NO AR

         E o Pequeno Príncipe, andarilho incasável de tantas estradas subiu até o alto de um rochedo e  lá de cima gritou ao mundo:
- Estou só, tremendamente só. Onde estão meus amigos?
        O Pequeno Príncipe, que sabia das coisas, é um símbolo do coração humano, faminto de amor, sedento de amizade.
        Outro dia, festejávamos a Irmã Cecília, coordenadora de uma comunidade religiosa. Foi uma celebração eucarística muito família, impregnada de fé, espírito de oração e de amizade fraternal, assim de brotar lágrimas na alma de muita gente que lá se achava.
        Na hora das preces do grupo, a homenageada rezou "por todos aqueles que ainda não tiveram a graça e a sorte de encontrar um verdadeiro amigo, uma verdadeira amiga no percurso da sua existência".
        Foi um momento de impacto e ternura envolvendo o ambiente. Aquela prece tão breve e liberada com tanta espontaneidade ecoou profunda e indelevelmente em meu coração.




Este texto e a sequencia de textos a seguir fazem parte de um antigo livro que pertence a minha madrinha (acho que ela nem lembra mais dele) e que encontrei perdido no meio de minhas coisas. O licro está sem capa, faltam algumas páginas, está rabiscado, mas tem textos maravilhosos. Resolvi publicar alguns dos para que não se percam no tempo. Como livro está sem capa, e perdeu algumas páginas não foi possível identificar o autor e por isso não dei os créditos a ele, mas continuo  procurando algum indício de quem o escreveu.